Notícias


07/02/2018

Aprofundando a Palavra


 

 

Mensagem do 5º Domingo do Tempo Comum

“Vamos a outros lugares (...)! Devo pregar também ali (...)” (Mc 1,38)

Neste domingo, Jesus nos ensina a razão pela qual Ele saiu do Pai, ou seja, pregar o Evangelho de Deus, a fim de que todos se convertam e creiam no Evangelho (cf. Mc 1,15).
Em Cafarnaum, Jesus, acompanhado de seus discípulos, continua seu ensinamento, curando a sogra de Pedro, que se coloca a servi-los. Mostra-nos, assim, que Ele veio curar-nos de todo tipo de febre que nos impede de servir. 
No final do seu primeiro dia de atividade na Galileia, Jesus curou muitos doentes e expulsou muitos demônios, uma vez que toda a cidade se reuniu em frente a casa onde Ele estava. Há um exagero na narrativa das curas realizadas no final da tarde, daquele primeiro dia de atividade de Jesus, que aponta para o entardecer do dia em que Jesus vai curar todos, oferecendo, na Cruz, a redenção para a humanidade. 
Na madrugada do dia seguinte, Jesus, estando em oração, permanece fiel à missão que o Pai lhe confiou. Jesus não se deixa levar pela fama de curandeiro, pois não quer que as pessoas o procurem por causa das curas, mas sim por causa de sua pregação, que é convite à conversão e à fé (cf. Mc 1,14-15) – “vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim” (Mc 1,38). 
De fato, não se pode buscar Deus exigindo dele curas e soluções imediatas para nossos problemas, como se fosse Deus o responsável. A fé amadurecida e gratuita não depende de milagres e curas, mas sim de comunhão de vida com Aquele que se solidarizou com o sofrimento humano. Jó, na 1a leitura, reconhece a fragilidade da vida e nos ensina a confiar na fidelidade de Deus.
Enfim, o Apóstolo Paulo nos deixa o exemplo (cf. 2a leitura) de quem aprendeu a lição de Jesus. Mesmo enfrentando o sofrimento em sua missão, reconhece que pregar o Evangelho é sempre motivo de glória, por isso, afirma: “Ai de mim se eu não pregar o Evangelho” (1Cor 9,16). Que Deus nos conceda a fidelidade à missão e ao Evangelho a ser proclamado.


Pe. Danival Milagres Coelho