Notícias


31/03/2017

Semana Santa


 
    A Semana Santa em Barbacena é sem dúvida, o ponto alto de todas as celebrações religiosas de nossa terra, o que é muito certo pela própria característica da Celebração da Ressurreição do Senhor, bem como pelo carinho com que é preparada e realizada há mais de duzentos e setenta  anos   no Santuário  da Piedade. O espírito de oração  das celebrações, os cenários montados, os cânticos e a presença maciça dos fiéis fazem com que tudo aconteça com uma beleza e espírito de fervor intenso demonstrando  a fé de nosso povo.  Bem já dizia Padre José Alvim Barroso que “nossa Matriz bem sabe chorar numa Sexta-feira Santa como sabe  sorrir  no arrebol da  Ressurreição.”

  
 
    Incontestável é a beleza estética das imagens da Semana Santa; a serenidade do Senhor dos Passos, a expressão  de dor profunda mas resignada da Senhora das Dores, a preciosidade da imagem do Senhor Morto. O ambiente da Matriz também  é muito admirado, de modo especial na  celebração do Setenário das Dores que se inicia com a abertura da cortina do Altar-mór e nos apresenta a Senhora das Dores  em um altar todo florido. Igualmente belos são o contraste do vermelho com o verde das palmeiras no Domingo de Ramos, o calvário do Encontro e a Cruz nua da Virgem da Soledade, a  singeleza das flores, alfaias e outros ornatos  do Altar–mór e Capela do Santíssimo na Quinta-feira Santa que expressam o maior agradecimento pelo grande presente que Jesus nos deixou,  as Trevas da Sexta-feira Santa e o explodir de cores e flores na Ressurreição, que, além de marcar a história e a tradição da Matriz, são fatores que  muito  nos ajudam a bem vivenciar a Liturgia celebrada. O  figurado bíblico, com mais de 200 pessoas personificando os grandes nomes da Bíblia, nos apresenta a história da Salvação de maneira agradável e interessante. 
  
    Tais comemorações tiveram origem na Matriz da Piedade com a Irmandade do Santíssimo Sacramento em meados do século XVIII. Por volta de 1.780 foi então organizada  a Irmandade do Senhor dos Passos, ficando responsável pela “Procissão dos Passos” que  posteriormente originou a Procissão do Encontro, quando muitas cidades resolveram colocar a Imagem da Senhora das Dores no quarto Passinho, que segundo a tradição portuguesa era o Passinho do Encontro. O quarto Passinho em Barbacena está localizado ao lado do Educandário dos Sagrados Corações de Jesus e Maria, onde por muitos anos o Sermão do Encontro foi realizado. Com o aumento da população, o Encontro foi transferido para  a frente do Santuário. Até os primórdios do século XX não existia a Procissão do Depósito dos Passos. A imagem era depositada na Igreja do Rosário  em altas horas da noite pelos Irmãos dos Passos em conformidade com a Irmandade do Rosário. Como o povo ficava nas ruas esperando para ver este cortejo, a procissão foi assim oficializada. A procissão da Soledade por mais de um século foi realizada após a Procissão do Enterro do Senhor, já na madrugada do Sábado de “Aleluia”, pois até 1.955 a Vigília Pascal era realizada na parte da manhã do Sábado Santo. Neste ano a liturgia da Semana Santa foi reorganizada na Igreja Católica e as cerimônias passaram a ser realizadas nos horários que nós conhecemos nos dias de hoje. Conhecer assim um  pouco da história de nossa Semana Santa nos ajuda a bem entendê-la e admirá-la, valorizando a liturgia e  aplicando em nossa vida o que com fervor e alegria celebramos.
 
Confira aqui as fotos da Semana Santa 2016

Kleber Lopes Camargo