Notícias


16/02/2020

Aprofundando a Palavra com Monsenhor Danival Milagres


“Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da Lei e dos fariseus, vós não entrareis no Reino de Céus” (Mt 5, 20);

 

 Artigo do VI Dom. TC – 16-02-20

 

            Neste domingo, Jesus, no grande sermão da montanha, nos ensina a cumprir plenamente a vontade de Deus, convidando-nos a superar a justiça dos mestres da Lei e dos fariseus.

 

            A 1a leitura prepara o Evangelho, porque nos convida à observância dos mandamentos, insistindo sobre a liberdade humana de responder sim ou não ao amor de Deus: “Diante do homem estão a vida e a morte, o bem e o mal; ele receberá aquilo que preferir” (Eclo 15,18). Deus nos deu seus mandamentos para serem fielmente observados como garantia de felicidade, por isso, é feliz quem observa os seus preceitos e de todo o coração procura a Deus (cf. Sl 118).

 

            No Evangelho, Jesus nos convida a fazer o mesmo, pois Ele vem não para abolir a Lei e os Profetas, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Nesta perspectiva, Jesus é considerado o novo Moisés, porque nos mostra o caminho da verdadeira liberdade que consiste na adesão à vontade de Deus e à sua Lei, não de forma aparente, mas interiormente, movidos pelo amor obediente.

 

            De fato, Jesus não se coloca contrário à Lei, mas vai ao seu sentido mais profundo e pleno. Diante do que diz a Lei: não matarás, ou não cometerás adultério, não jurarás falso, Jesus não contradiz como pode sugerir a expressão “Eu porém vos digo...”; mas aprofunda e vai ao sentido mais radical da Palavra, como se dissesse “Eu ainda assim vos digo” ou “Eu vos digo ainda”.

 

            Neste sentido, Jesus se preocupa com a causa do pecado, ou seja, com aquilo que gera a violência, a morte, o adultério e o falso juramento. Por isso, exorta-nos a não cultivar a ira; a ter cuidado com o olhar que pode ser ocasião de pecado; e a não jurar de modo algum.

 

            Portanto, superar a justiça dos fariseus consiste em viver de acordo com a sabedoria de Deus, que nos conduz à verdadeira felicidade, pois “o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram nem os ouvidos ouviram nem coração algum jamais pressentiu” (1Cor 2,9)

Mons. Danival Milagres Coelho.