Notícias


26/12/2019

Aprofundando a Palavra com Monsenhor Danival Milagres


“E a Palavra era Deus. Nela estava a vida, e a vida era a luz dos homens” (Jo1,1.4)

 

 Solenidade do Natal do Senhor - 25-12-19

 

            Celebrar o Natal do Senhor é contemplar a manifestação do amor de Deus e acolher o seu Filho que vem compartilhar a sua vida, participando de nossa humanidade, a fim de que participemos de sua filiação divina e vivamos como irmãos. Eis a verdadeira alegria do Natal!

 

            A alegre notícia trazida pelo Anjo, que, na cidade de Davi, nasceu para todo o povo o Salvador, ressoa em nossa liturgia, convidando-nos à contemplação deste mistério de amor. Ao contemplarmos na pequenez e na fragilidade de uma criança, a grandeza e o poder do amor que se encarna, solidarizando-se com a humanidade sofredora, somos convidados a renovar a nossa fé, como resposta a este amor, acolhendo a verdadeira Luz, o Verbo que se fez carne e veio habitar entre nós. Quem o acolhe, a vida ganha um novo horizonte de sentido, pois “Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens” (Jo 1,4).

 

Assim se realizou a profecia de Isaias: “O povo, que andava na escuridão, viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu” (Is 9,1). No entanto, Jesus veio para o que era seu, mas os seus não o acolheram (cf. Jo 1,10). Desde o seu nascimento, contemplamos a frieza dos que deveriam acolhê-lo. De fato, Jesus nasceu entre os animais e foi colocado numa manjedoura, porque não havia lugar para Maria e José na hospedaria da cidade.

 

            Com enfeito, hoje podemos fazer diferente, a fim de que um “Feliz Natal” aconteça em nossa vida. Ainda é tempo de acolher Jesus - o esplendor da glória do Pai e a expressão de seu ser (Hb 1,3) - como a manifestação da graça de Deus, trazendo a salvação para todos nós (cf. Tt 2,11), a fim de que tenhamos vida, vivendo como filhos no Filho.

 

            Enfim, já que em Jesus está a vida e sua vida é luz que nos ilumina (cf. Jo 1,1.4), pois só nele se esclarece verdadeiramente o mistério do homem (GS, n.22), vamos acolhê-lo com fé para vivermos como filhos e filhas de Deus através de uma convivência mais fraterna e solidária.

 

Mons. Danival Milagres Coelho