Notícias


09/02/2019

Aprofundando a Palavra


Artigo do V Dom. do T.C. 

 

“Em atenção à tua palavra, vou lançar as redes” (Lc 5,5)

 

            A liturgia da Palavra nos ensina que para seguir Jesus é necessário ouvir a sua voz e obedecer a sua Palavra que nos convida a ir para águas mais profundas, a sair do desânimo e a confiar na ação de Deus, pois sua Palavra é viva e eficaz. Em atenção à sua Palavra, Jesus nos exorta à obediência da fé para não cairmos na mediocridade na vida espiritual.

 

            A 1a leitura nos relata a vocação de Isaías, que se coloca com humildade diante do Senhor, que lhe fez ouvir a sua voz: “Quem enviarei? Quem irá por nós” (Is 6,8)? Nesta experiência de fé, no encontro com Deus, Isaias se reconhece pecador e experimenta o seu perdão. O Senhor purifica os seus lábios para ser o seu profeta, ou seja, para falar em nome de Deus, por isso, pôde responder com prontidão: “Aqui estou! Envia-me” (Is 6,8).

 

            No Evangelho, Jesus vai ao encontro dos pecadores que já estavam lavando as redes, depois de uma longa noite sem nada pescar. Ele os exorta a avançar para águas mais profundas e lançar as redes. Simão resiste, num primeiro momento, mas responde: “Em atenção à tua palavra, vou lançar as redes” (Lc 5,5). Em seguida, puxaram grande quantidade de peixes que as redes se rompiam. Eis a eficácia da palavra do Senhor!

 

Todos ficaram espantados diante do que viram! O espanto é próprio da experiência de fé nos relatos bíblicos de teofania, ou seja, da manifestação de Deus, por isso, Simão se prostra diante de Jesus, reconhecendo-se pecador. Em seguida, Jesus dirige a Simão e também a cada um de nós: “De hoje em diante tu serás pescador de homens!” (Lc 5,10). Não somente Simão, mas também os outros deixaram tudo e seguiram Jesus (cf. Lc 5,11).

 

Portanto, ouvindo a Palavra do Senhor, mesmo sem vê-lo pessoalmente, nós podemos segui-lo e ser seus apóstolos como foi Paulo, que, por graça de Deus, continua transmitindo-nos o fundamento de nossa fé que é o mistério pascal do Senhor, isto é, que Jesus morreu e ressuscitou pelos nossos pecados (cf. 2a leitura).

 

Pe. Danival Milagres Coelho.