Notícias


21/12/2018

Aprofundando a Palavra


 

Mensagem do 3º Domingo do Advento 

“Que devemos fazer?” (Lc 3,10) 

    O terceiro domingo do Advento nos convida à alegria, como expressa a antífona de entrada: “Alegrai-vos sempre no Senhor. De novo eu vos digo: alegrai-vos! O Senhor está perto”. Para vivermos esta alegria nos perguntamos, como as multidões perguntaram a João Batista: o que devemos fazer?

    Em primeiro lugar, acolher e acreditar na Palavra do Senhor, assim como Israel foi convidado a acolher com fé a boa notícia do profeta Sofonias que afirmava: “o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais termerás o mal” (Sf 3,15). Assim também, nós cremos que o Natal do Senhor nos dá a certeza de que Deus está em nosso meio para nos salvar. Eis a razão de exultarmos e alegrarmos no Senhor. Não caminhamos mais sozinhos. Deus está conosco.

Em segundo lugar, a verdadeira alegria é garantida pela paz que se experimenta na comunhão com o Senhor. Não basta saber que o Senhor está no meio de nós, temos que acolhê-lo e viver em comunhão com Aquele que veio condividir a própria vida conosco. Dessa comunhão é nasce a verdadeira alegria, que não é efêmera e nem passageira. Só quem vive em comunhão com Jesus é capaz de expressar a sua bondade e experimentar a verdadeira alegria por fazer o bem. Nisso consiste alegrar-se no Senhor (cf. 2a leitura).

   No evangelho, João responde com conselhos práticos o que as multidões e os cobradores deviam fazer (cf. Lc 3,10). Seus conselhos são importantes para que experimentemos a alegria que vem do Senhor. Antes de tudo o convite de João é à conversão, que significa mudança de mentalidade e de atitude. Na verdade, João nos exorta a expressarmos a conversão pela vivência da solidariedade (cf. Lc 3, 11) e da justiça (cf. Lc 3, 14).  

    Por fim, João ainda nos deixa uma lição de humildade, não se deixando confundir com o Messia, pois esse é mais forte do ele e virá para batizar no Espírito Santo, cujo fruto é a alegria; e no fogo que nos purifica (cf. Lc 3,16-17).

 

Pe. Danival Milagres Coelho