Notícias


24/11/2018

Aprofundando a Palavra


 
Mensagem do 34º Domingo do Tempo Comum

“O meu reino não é deste mundo” (Jo 18,36)
 
A Festa de Cristo Rei coroa o ano litúrgico, fazendo-nos compreender que a conclusão da história será o Reino definitivo e eterno de Cristo. Reconhecer que Jesus Cristo é o Rei do Universo significa acolhê-lo como o Senhor da vida e viver sob o senhorio de seu amor, colocando-nos como servidores do seu Reino, sendo sal e luz no mundo.
A profecia de Daniel, depois de várias visões simbólicas a respeito dos reinos terrenos (cf. Dn 7), contempla em sua visão noturna, vindo do céus entre as núvens, alguem não mais como um animal, como nas visões anteriores, mas semelhante a um filho do homem. É o décimo segundo reino, ou seja, o número da pefeição para indicar que é o Reino de Deus. O Filho do Homem é identificado como Messias, com o povo dos santos (cf. Dn 7,27). É um messianismo coletivo, definitivo e eterno.
Neste personagem contemplamos Jesus Cristo, que no livro do Apocalipse é reconhecido como o Rei que nos comunica o seu poder real, fazendo-nos participantes do seu reinado. O autor anuncia a segunda vinda de Jesus – “Ele vem com as nuvens, e todos os olhos o verão” (Ap 1,7). Ao contemplá-lo, somos convidados a bater no peito, isto é, a viver a conversão, reconhecendo-o como Aquele que na cruz nos garantiu a salvação e a participação no seu Reino.
No Envangelho, na narrativa da paixão, Jesus é apresentado como o Rei, mas o seu reino não é deste mundo (cf, Jo 18, 36). Jesus confirma, dizendo: “eu sou rei” (Jo 18.37) e esclarece que sua missão neste mundo é fazer reinar a verdade. Ora, Jesus mesmo é a verdade que nos liberta, a fim de que vivamos na verdade. O seu Reino não é o da mentira, o da corrupção e nem do poder político, mas é o Reino do amor-serviço, da justiça e da paz. 
Portanto, celebrar Jesus Cristo Rei do Universo é reconhecer o dinamismo do agir de Deus na história e viver na verdade, sob o senhorio de seu amor, enquanto peregrinos rumo ao Reino definitivo.
 
Pe. Danival Milagres Coelho.