Notícias


01/09/2018

Aprofundando a Palavra


 
Mensagem do 22 D. T. C. 

“Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim” (Mc)
 
 
A litugia de hoje nos ensina a viver a nossa fé de forma autêntica, tendo um coração puro, ou seja, radicalmente decidido por Deus, a fim de que sejamos praticantes da Palavra, observando os seus mandamentos.
 
A autenticidade de nossa fé se dá na obediência gratuita aos mandamentos de Deus, que são garantia de vida (cf. Dt 4,1). Obedecer a Deus é acolher a sua Palavra, reconhecendo-a como a verdade que nos liberta e salva. Por isso, o apóstolo Tiago nos exorta: “sede praticantes da Palavra e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tg 1,22).
 
Além disso, Tiago ainda nos lembra que a religião pura e sem mancha diante de Deus consiste em viver a caridade, sem se deixar contaminar pelo mundo (cf. Tg 1,27), que nos instiga a viver no individualismo, numa vida fechada em si mesma, sem uma convivência fraterna e solidária.
 
No Evangelho, Jesus nos chama à coerência de vida, ensinando-nos que não basta honrar a Deus com os lábios, se o nosso coração está longe dele. Quantas vezes abandonamos os valores do evangelho e nos conformamos com o modo de pensar do mundo. No entanto, o que nos contamina não é o que vem de fora, lembrou-nos Jesus, mas sim o que sai de dentro do nosso coração dominado pelo egoísmo, pela autosuficiência, pelas paixões desordenadas, pela busca do poder pelo poder.
 
Além disso, tudo aquilo que é fruto do egoísmo e dos interesses próprios deixa o nosso coração impuro, basta lembrarmos do apego exagerado aos bens materiais como segurança de nossa vida; das nossas paixões desordenadas, que nos fazem escravos de nossas vontades prórias, colocando-nos no centro dos relacionamentos.
 
Enfim, tudo o que impede o nosso coração de amar e servir, revela que ainda não somos totalmente livres e que ainda não temos um coração puro.  Em tudo isso, percebe-se que o nosso coração está longe de Deus, pois são atitudes incoerentes com os valores do Evangelho.  
 
Pe. Danival Milagres Coelho