Notícias


17/03/2018

Aprofundando a Palavra



Mensagem do 5º Domingo da Quaresma

“Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado” (Jo 12, 23)

A liturgia da Palavra nos convida a contemplar Jesus no seu mistério pascal, cuja manifestação se dá na hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado (cf. Jo 12,23). Elevado da terra, Jesus atrairá todos a Ele, selando definitivamente a nova e eterna Aliança, pela qual o Senhor nos dará o seu perdão.
Na 1ª leitura, Jeremias anuncia a nova Aliança que Deus concluirá com a casa de Israel e a casa de Judá, imprimindo em suas entranhas e inscrevendo em seu coração a sua Lei. Todos reconhecerão o Senhor, pois Ele perdoará sua maldade e não mais se lembrará de seu pecado (cf. Jr 31, 34).
Em Jesus, esta Aliança se clonclui definitivamente com o seu sacrifício na Cruz, na qual sua vida foi consumada, tornando-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem (cf. Hb 5,9). 
      No entanto, para obedecer-lhe é necessário conhecê-lo, como assim desejaram alguns gregos quando disseram a Felipe:  “Senhor, gostaríamos de ver Jesus”. Ver Jesus equivale a conhecê-lo e só o conhecemos, seguindo-o, assumindo o seu caminho de serviço e de despojamento de si mesmo. É neste caminho do amor-serviço que Jesus nos ensina que somos todos irmãos, coforme o lema da Campanha da Fraternidade deste ano.
      Assim, Jesus responde – “chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado” (Jo 12, 23) convidando-nos a contemplar o seu mistério pascal, no qual Ele se revela como Filho obediente, que assume o caminho do serviço e da doação da vida. Em João, a glória de Deus se manifesta no amor de Jesus revelado na cruz. 
      Enfim, a imagem do trigo que cai na terra e morre para dar fruto nos aponta para a salvação da humanidade como fruto do sacrifício de Jesus na Cruz e da sua entrega total ao Pai. Contemplemos o mistério Pascal de Jesus e nos sintamos atraídos por seu amor que nos reconcilia com o Pai, pois Ele mesmo disse: “e eu quando for elevado da terra, atrairei todos a mim” (Jo 12, 31). Assim é que o Pai glorifica o seu nome, quando o seu Filho na Cruz é glorificado.


Pe. Danival Milagres Coelho.