Notícias


03/03/2018

Aprofundando a Palavra


 

Mensagem do 3º Domingo da Quaresma

“Destruí este Templo, e em três dias eu o levantarei” (Jo 2,19)

A liturgia da Palavra nos convida, como participantes da Nova Aliança, a celebrar o Mistério Pascal de Jesus, observando os mandamentos, sobretudo o amor a Deus, a fim de que o seu santuário, que é a vida de cada irmão, seja respeitado.
A Aliança que Deus fez com Israel, através da observância dos mandamentos, era a garantia da verdadeira liberdade. O amor absoluto a Deus, como único Senhor de nossa vida é a condição necessária para viver a liberdade diante das coisas criadas e o amor fraterno no respeito à vida e à dignidade da pessoa humana (cf. 1a leitura).
Se não amamos a Deus sobre todas as coisas, caímos na idolatria, colocando no lugar de Deus, as coisas criadas, sobretudo o dinheiro, o prazer e o poder. Tal atitude nos impede de convivermos de forma fraterna e solidária
Jesus, no Evangelho, combate a idolatria, ao ver que fizeram da casa de seu Pai uma casa de comércio em vista da exploração dos estrangeiros e pobres que adquiriam seus animais no Templo, para a oferta de sacrifícios. Assim, muitos tinham dificuldade de participarem do culto de sacrifício, devido ao abuso do comércio.
Somente em Mc 11,17, Jesus responde, citando Is 56,7 – Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos? – que anuncia a extensão universal do culto messiânico. Nesta perspectiva, entendemos as palavras de Jesus – “Destruí este Templo, e em três dias eu o levantarei” (Jo 2,19) – que faz referência ao seu mistério pascal. Recorda-nos, assim, que Ele é o verdadeiro santuário de Deus, que foi desrespeitado e profanado ao ser crucificado.
Deste modo, Jesus anuncia que o seu mistério pascal é o centro do novo culto aberto a todos os povos. Por isso, Paulo prega Cristo crucificado como manifestação do poder e da sabedoria Deus (cf. 2a leitura). Celebremos este mistério, amando a Deus e ao próximo como nosso irmão – conforme o lema da CF: Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8) –  contemplando em todos os irmãos e irmã o templo vivo de Deus.


Pe. Danival Milagres Coelho.