Notícias


25/11/2017

Aprofundando a Palavra


 
Mensagem do 34º Domingo do Tempo Comum

Festa de Cristo Rei

“Todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes! (Mt 25, 40)  
 
Celebrar a festa de Cristo Rei do universo é reconhecê-lo como o Senhor da vida, a fim de que façamos entre nós a experiência de seu Reino de amor. 
Não basta dizer que Jesus é nosso Rei, é necessário compreender como é o seu reinado. No AT, o rei era ungido – antes por um profeta (cf. 1Sm 10,1) e mais tarde pelo sumo sacerdote (cf.1Rs 1,39) – para assumir a missão de governar, como expressão do cuidado do próprio Deus em favor de seu povo, devendo, assim, viver a fidelidade aos mandamentos de Deus.
 
Nessa perspectiva é que entendemos a preocupação de Ezequiel, que retoma (cf. Ez 34) o tema de Jr 23,1-6, censurando os crimes e as infidelidades dos pastores reis, por terem se afastado da Palavra de Deus. Assim disse o Senhor Deus através do profeta: “Eu mesmo vou apascentar as minhas ovelhas e fazê-las repousar (...). Vou procurar a ovelha perdida, reconduzir a extraviada, enfaixar a da perna quebrada, fortalecer a doente, e vigiar a ovelha gorda e forte. (...) Eu farei justiça entre uma ovelha e outra, entre carneiros e bodes” (Ez 34, 15-17).
 
Em Cristo, o Bom Pastor, nós experimentamos o cuidado de Deus, que se revela bondoso e misericordioso. Reconhecer Jesus como nosso Rei é viver sob o dinamismo de seu amor, que nos torna amáveis e misericordiosos para com os nossos irmãos e irmãs necessitados – os famintos, sedentos, estrangeiros, nus, doentes e presos – pois, Ele mesmo disse: “Todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes! (Mt 25, 40).
 
Portanto, celebrar Jesus como nosso Rei é viver sob seu senhorio do seu amor, a fim de que reine em nosso coração a misericórdia, pela qual seremos julgados. Submetendo-nos ao Senhorio de Cristo, que ressuscitou dos mortos, temos a esperança, como pertencentes a Ele, de participamos também de seu Reino definitivo (cf. 2a leitura). Nesta festa, nós queremos também pedir a Deus que abençoe e ilumine o “Ano do Laicato”, que se inicia neste dia (26/11/17 a 25/11/18) com o tema “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino” e o lema: “Sal da Terra e Luz do Mundo”, Mt 5,13-14.
 
Pe. Danival Milagres Coelho.