Notícias


18/11/2017

Aprofundando a Palavra


 

Mensagem do 33º Domingo do Tempo Comum

“Servo bom e fiel! (...) Vem participar da minha alegria!” (Mt 25,20.23)
 
No final do Ano Litúrgico, a Palavra de Deus nos fala sobre a vinda do Senhor que nos chama a participar de sua alegria, superior à alegria do mundo que é efêmera e passageira. Para participarmos da alegria do Senhor temos que estar vigilantes e sermos perseverantes em seus caminhos, como servos bons e fiéis à missão batismal.
 
Pelo Batismo, somos filhos da Luz, filhos do dia e não das trevas (cf. 2a leitura). Não podemos dormir, tornando-nos inertes e indiferentes ao Senhor, que pode vir ao nosso encontro definitivo de forma inesperada. Não se pode perder o dinamismo da vida cristã, buscando uma vida de comodidade e falsa segurança, mas sejamos vigilantes e sóbrios (cf. 1Ts 5,6). 
 
Um exemplo de vigilância encontra-se em Provérbios, na mulher merecedora de louvores, porque vive o temor do Senhor (cf. Pr 31,30), que é o princípio da sabedoria. A alegria que ela oferece ao seu marido é própria de quem participa da alegria do Senhor, por isso cumpre com fidelidade sua missão de esposa e ao mesmo tempo é generosa e sensível às necessidades do pobre.
 
Desta mesma alegria, Jesus nos convida a participarmos ao contar para nós a parábola dos talentos. Para participarmos da alegria do Senhor, que vem nos convidar a qualquer momento, é necessário que compreendamos sua bondade e seu amor para conosco. Se tivermos uma concepção de um Deus severo, que colhe onde não plantou e ceifa onde não semeou (cf. Mt 25, 24), como teve aquele que recebeu um talento, corremos o risco de viver com medo, refugiando-nos na comodidade de uma vida medíocre, sem compromisso com o Reino de Deus. Viver assim é deixar de participar da alegria do Senhor.
 
Portanto, sejamos servos bons e fiéis, vivendo a vigilância, comportando-nos como filhos e filhas da luz e colocando nossos talentos a serviço de nossos irmãos e irmãs. Neste dia em que o Papa Francisco nos convoca a celebrar o dia Mundial dos pobres à luz do tema – “Não amemos com palavras, mas com obras” (1Jo 3,18) – somos convidados a testemunhar a nossa fé pela caridade e pela esperança, na certeza de que somos peregrinos neste mundo rumo ao Reino definitivo, participando já do Reinado de Deus entre nós, vivendo sob o senhorio do seu amor.
 
Pe. Danival Milagres Coelho