Notícias


15/03/2017

O Ministério Episcopal



“A paz esteja convosco. Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio.” (Jo 20, 21)
 
    No próximo dia 25 de março, na Solenidade da Anunciação do Senhor, o Monsenhor Geovane Luís da Silva será ordenado Bispo, na Basílica de São José Operário, em Barbacena. Desde o anúncio de sua escolha para o ministério episcopal, ocorrido em dezembro, nossa Paróquia se prepara com alegria para esse belo momento de fé, no qual a Igreja de Cristo ganhará mais um sucessor dos Apóstolos.
 
    E, na Igreja, sempre foi assim! O próprio Cristo instituiu doze apóstolos para continuarem sua missão de justiça e paz junto ao povo, após sua Ressurreição, apascentando seu rebanho e sendo sinal de unidade junto à comunidade cristã (Cf. Jo 21, 15-19). Dos primeiros anos do cristianismo até hoje, são inúmeros os santos que, enquanto sucessores dos apóstolos (Bispos), foram um grande sinal da presença de Cristo nos lugares onde estiveram. Pedro, Agostinho, Tomás de Aquino, Gregório Magno, João Paulo II...  
 
    No documento Christus Dominus, do Concílio Vaticano II, o Papa Paulo VI e os demais Padres conciliares enfatizaram: “No exercício do seu múnus de santificar, lembrem-se os Bispos que foram escolhidos dentre os homens e constituídos a favor dos homens nas coisas que se referem a Deus, para oferecerem dons e sacrifícios pelos pecados. Na verdade, os Bispos têm a plenitude do sacramento da Ordem, [...] são, portanto, os principais administradores dos mistérios de Deus, como também ordenadores, promotores e guardas da vida litúrgica na Igreja a si confiada” (§15).
 
    Dentre as muitas funções de um Bispo, o documento cita: ensinar e anunciar o Evangelho e a doutrina da Igreja, defendendo-a e “ampliando-a” conforme as necessidades dos tempos, entrando em diálogo com a sociedade humana; vigiar pela instrução catequética, tornando a fé do povo sempre mais viva; prezar pela Eucaristia, pelos demais Sacramentos e pela santidade de seus clérigos, religiosos e leigos, segundo suas vocações específicas; preocupar-se com as necessidades de seu rebanho, bem como das “ovelhas separadas”, favorecendo o ecumenismo; e favorecer o apostolado e ser presença junto aos que mais sofrem material e espiritualmente (Cf. § 12 a 18)
 
    Nesses dias que antecedem a Sagração Episcopal de Monsenhor Geovane, acompanhemos sua vida e vocação com nossas orações. Peçamos ao Bom Deus que, por intercessão de sua Santa Mãe, a Senhora da Piedade, o fortaleça e guie nesse caminho de amor e serviço à frente do rebanho de seu Filho, Jesus Cristo, “para o nosso bem e o de toda a Santa Igreja!”
 
“Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedec!” (Sl 110)
 
 
 
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

Christus Dominus: decreto do Concílio Vaticano II sobre o múnus pastoral dos Bispos. São Paulo: Paulinas, 1966.

José Mário Santana Barbosa